segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Prova de Amor!!!!

De todos os temas que se tem e o que mais de simples que pode ser conceituado, o amor é sem dúvida o que mais aparente. Vivenciar práticas amorosas ou sentir-se amado é sem dúvida a experiência mais impulsionante para o ser humano. E já que estou disposto a teorizar sobre o amor baseado no que vivo cotidianamente e resultante das constatações práticas ou do que me chega através das mais diversas fontes, tenho certeza que apenas com palavras não se pode chegar a comprovar o verdadeiro sentido do que seja esse sentimento.
A verdade é que não basta falar ou escrever sobre o amor, afinal de contas não se pode chegar à essência das coisas apenas com palavras. É necessário vivenciar as possibilidades que o amor pode te levar quando se está envolto a uma atmosfera onde se respira atitudes e desejos amorosos. O desejo é o ponto de partida para essa empreitada que nos move em querer sempre mais. Assim, não basta amar é necessário incessantemente desejar e está em constante insatisfação para que a vontade se renove sempre.
Talvez ser amado não requeira tanto esforço quanto o de ser o sujeito que ama. Mas como ter algo que não se está disposto a doar? Ou será que o prazer de ser amado se concretiza na satisfação de amar incondicionalmente? E a busca da pessoa amada? Pode resumir-se numa odisséia compulsiva onde todos nós já nascemos premeditados a se lançar em tal jornada?
Perguntas e mais perguntas que muitas vezes nos preocupamos em respondê-las e esquecemos de enxergar os sinais que já possuímos e que já são suficientes para sermos felizes. E que sinais são estes? Acredito que cada um é capaz de detectá-los e de ser capaz de praticá-los em prol de seu bem estar. Sinais estes que estão gravados em qualquer movimento que façamos ou em qualquer pensamento que seja emanado e até mesmo nos traços perfeitos da natureza que representa a manifestação mais significativa da divindade.
Resta então o amor a si mesmo, que se resume em algo que entendemos como sendo o autoconhecimento, pois quem sabe em que consiste a sua essência física e psicológica é capaz de traçar planos de evolução baseado na proteção de si e do outro. A maior prova de amor consiste em constatar que a vida que está sendo trilhada é resultante de ações que possam ser universalizadas e que a vontade de aprender e de fazer o melhor não se acaba nunca. É ter a esperança de que amando o hoje, tenho a possibilidade de perpetuar o amanhã e de ser bem melhor do que já fui ontem, por isso, se não somos capazes de dar provas de amor através de atos e de palavras pronunciadas, iniciemos pelo pensamento, no afã de que através do esforço um dia sem que percebamos, tal prática seja interiorizada em cada íntimo e posteriormente exteriorizada ao outro.

Ancarlos Araujo (In: Cartas Para Ninguém. 20/Jan/2008)

Um comentário:

rebeca disse...

que fôfo.....que coincidencia,tô estudando sobre o amor e a verdade....